Título 6
Rafael Mateus Winques

Caso Rafael: mãe vira ré por assassinato do filho e outros três crimes

O Tribunal de Justiça (TJ) do Rio Grande do Sul aceitou, nesta segunda-feira (13/07/2020), a denúncia contra Alexandra Dougokenski, 33 anos, que confessou ter assassinado o filho Rafael Mateus Winques, 11 anos, em 15 de maio, em Planalto, no norte do Estado. A mãe do garoto irá responder por homicídio doloso — quando há intenção de matar —, ocultação de cadáver, falsidade ideológica e fraude processual.

Na sexta-feira (10/07/2020), o Ministério Público (MP) havia apresentado a denúncia contra a mulher, que foi recebida pela juíza Marilene Parizotto Campagna, da comarca do município onde o crime ocorreu. Conforme a acusação, formulada pelo Ministério Público com base nas investigações policiais, a mulher responderá por homicídio qualificado (praticado por motivo fútil, com meio cruel e recurso que dificultou a defesa).

Na decisão, a magistrada também converteu a prisão temporária de Alexandra em preventiva, sem prazo estabelecido para expirar.

"Consta na denúncia e encontra amparo na prova técnica já produzida que a denunciada matou seu filho, com 11 anos de idade, mediante asfixia mecânica provocada por estrangulamento", descreve a magistrada na decisão.

Pelo texto, a juíza afirma que, após a morte, Alexandra "tratou de ocultar o cadáver com a finalidade de afastar eventuais suspeitas que contra si pudessem recair." O corpo do menino foi encontrado dentro de uma caixa de papelão colocada no terreno da casa vizinha.

"Chama a atenção ainda que nas três oportunidades em que foi formalmente ouvida antes de indicar a localização do corpo, não apenas sustentou a versão do desaparecimento, mas também e de forma sutil, tentou incriminar outras pessoas, inclusive familiares consanguíneos", destacou a magistrada.

A denúncia por fraude processual ocorre porque em 23 de maio, quando ainda não havia admitido, em primeira versão, a morte do filho, Alexandra chamou um policial até sua casa para mostrar que um calendário estava com a data de 14 de maio circulada. A data coincide com a noite em que o menino desapareceu.

— Ela chamou um inspetor da polícia na casa dela, dando indicativo de que Rafael poderia ter assinalado aquela data sugestionando uma fuga. Isso aconteceu no sábado anterior à localização do corpo e demonstra como ela tentou inovar durante a investigação, trazendo elementos que ela sabia que não eram verídicos, com intuito de atrapalhar o trabalho da polícia — explicou a promotora de Planalto, Michele Kufner na ocasião da denúncia.

CONTRAPONTO

Em nota, a Defensoria Pública do Estado do Rio Grande do Sul, por meio do defensor público e dirigente do Núcleo de Defesa Criminal Andrey Régis de Melo, informa que a instituição aguardará o recebimento da denúncia do Ministério Público e a citação. A Defensoria salientou que ainda não foi possível conversar com a investigada sobre detalhes do caso penal, já que ela se encontra, desde 29 de junho, internada em um hospital da Grande Porto Alegre para tratamento de saúde.

Com informações: https://gauchazh.clicrbs.com.br/seguranca/noticia/2020/07/caso-rafael-mae-vira-re-por-assassinato-do-filho-e-outros-tres-crimes-ckcl9q5b3004m0147kfpn9uqx.html

O que já havíamos divulgado

Mãe de Rafael admite ter estrangulado o filho em novo depoimento Alexandra Dougokenski e o filho Rafael Mateus Winques Imagem: Reprodução/Redes sociais Lucas Azevedo Colaboração para o UOL, em Porto Alegre 28/06/2020 15h48 A mãe do menino Rafael Mateus Winques, de 11 anos, assassinado em 15 de maio no norte do Rio Grande do Sul, mudou seu depoimento e admitiu que estrangulou o garoto. A informação foi apresentada pela Polícia Civil gaúcha na noite de ontem. Alexandra Dougokenski prestou novo depoimento aos investigadores na tarde de ontem, em Porto Alegre. O intuito foi confrontar seu relato às evidências colhidas na reconstituição do crime, ocorrida em 18 de junho, na cidade ... 

UV União de Vítimas Não solte a minha Mão!

Webdesign Elizabeth Metynoski *Todos os Direitos Reservados*