Lucas Vargas Terra
*19.10.1986    +21.03.2001

Lucas foi amarrado e amordaçado para não gritar e colocado dentro de uma caixa de madeirit e queimado vivo, Salvador-BA. Segundo Laudo da Policia técnica, na ocasião dos fatos, o estudante de catorze anos de idade,  foi queimado vivo, após ter sofrido (entre outros) violência sexual. Após detalhada investigação, a policia baiana, concluiu que o autor do crime, seria Silvio Galiza, "Pastor de uma Igreja" que o menino Lucas Terra frequentava. Conforme informações de Carlos Terra (Pai de Lucas) e relatos de  Galiza, o autor do crime acredita-se estava acompanhado de mais duas pessoas, que se identificavam igualmente como pastores, carbonizaram o corpo do garoto para encobrir os Vestígios de Pedofilia.

 

O pastor acusado de participar do assassinato do adolescente Lucas Terra, em 2001, foi beneficiado com o regime semi-aberto. A defesa de Silvio Roberto Galiza conseguiu a transferência do regime fechado para o semi-aberto na Colônia Lafayete Coutinho, junto ao juiz José Carlos Rodrigues do Nascimento, da Vara de Execuções Penais do Tribunal de Justiça. Galiza cumpria pena em regime fechado a quatro anos e seis meses. Em junho de 2004 foi proferida a sentença ao acusado, que foi de 23 anos e quatro meses de prisão, mas um segundo júri ocorreu e reduziu a pena para 18 anos. Em 2007, o Tribunal de Justiça da Bahia reduziu a pena novamente para 15 anos.

Os pastores da Igreja Universal do Reino de Deus (Iurd), Fernando Aparecido da Silva e Joel Miranda Macedo de Souza, também acusados de participação no assassinato do garoto Lucas Terra, em março de 2001, permanecem atuando em cargos religiosos na Bahia. Ele tinha 14 anos na época do crime. 

Fernando Aparecido e Joel Miranda chegaram a ser inocentados em sentença publicada, em novembro de 2013, pela juíza do Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA) Gelzi Almeida. No entanto, em 2015, a família de Lucas Terra recorreu e os desembargadores baianos, por unanimidade, decidiram levar os acusados a júri popular.

A partir daí, um novo recurso, desta vez elaborado pela defesa dos pastores, foi enviado do Superior Tribunal de Justiça (STJ), que decidiu manter a decisão do tribunal baiano. Mas, o que as partes não esperavam, é que o Supremo Tribunal Federal (STF) fosse anular, em 18/09/19, a decisão do TJ-BA que mandou a dupla ao julgamento popular.

https://globoplay.globo.com/v/7931882/

Links para assistir o Programa Linha Direta sobre o caso:

 

http://www.youtube.com/watch?v=4YWQ0Px1hEs&feature=player_embedded#!

 

http://www.youtube.com/watch?v=5DQPcM_ingw&feature=player_embedded

 

http://www.youtube.com/watch?v=L7_grDLeOUo&feature=player_embedded

Webdesign Elizabeth Metynoski *Todos os Direitos Reservados*