Ives Yassiaki Ota
*02.06.1991    +30.08.1997

No dia 29 de agosto de 1997, Ives Yossiaki Ota, de oito anos, foi sequestrado por três homens em sua própria casa, na Vila Carrão, Zona Leste de São Paulo, onde brincava, na sala, com seu primo, sob os cuidados da babá. Na madrugada do dia 30 de agosto, já estava morto, com dois tiros no rosto, porque durante as negociações reconheceu um de seus sequestradores. Os sequestradores faziam a segurança nas lojas de seu pai, sendo que dois deles eram Policiais Militares. Isso selou seu destino. Foi assassinado e enterrado, ali mesmo, no esconderijo.

Em junho de 1998, José Luiz de Carvalho, juiz da 17ª Vara Criminal de São Paulo, condenou o motoboy e os dois policiais envolvidos no crime. Na sentença, o juiz considerou que Paulo de Tarso Dantas, um dos policiais envolvidos, foi o condutor do sequestro. O motoboy, portanto, encarregou-se de realizar o rapto de Ives para o cativeiro. Paulo de Tarso Dantas e Sergio Eduardo Pereira de Souza receberam condenação de 43 anos e dois meses de prisão por sequestrohomicídio qualificado e ocultação de cadáver.

O motoboy Adelino Donizete Esteves foi condenado a 45 anos e seis meses por sequestro, homicídio qualificado, ocultação de cadáver, falsidade ideológica e falsa identidade.[12] Em abril de 1999, o Tribunal de Justiça reduziu a pena de Sérgio Eduardo Pereira para 35 anos e um mês de prisão, sob o entendimento de que a participação do ex-policial era menos grave, embora soubesse do plano acordado. Desde outubro de 2005, os criminosos cumprem as penas em regime semiaberto.

 

https://pt.wikipedia.org/wiki/Caso_Ives_Ota

https://www.youtube.com/watch?v=9TKg33zWNHU

Webdesign Elizabeth Metynoski *Todos os Direitos Reservados*